– Começou o episódio. Com muita falação. Desde quando essas conversas antes das batalhas aconteciam? Blablabla… ah, agora o verdadeiro motivo desta cena. Sansa vai embora e Ramsay fala dos seus cães sem comida por sete dias. Não é para acertar a cronologia que eles falaram isso, é para a cena final.

– Daenerys tem um plano. Mas antes, blablabla com os golpistas. Ou é a Daenerys que é golpista? O plano é simples, os dragões vão destruir os barcos feitos de madeira. Como não pensar nisto antes?

– Conselho de Guerra. Eles querem deixar bem claro que as chances de Jon são muito pequenas. E fingir que o bigodinho não vai chegar com um exército para ajudar. Não dá para entender a Sansa. Ou ela quer ou não quer atacar, salvar ou esquecer o irmão, ajudar o Jon ou usá-lo de isca. O importante é que ela tem informações sobre Ramsay que ninguém tem. Nada picante. Game of Thrones é puritano nesses dias. Ela quer dizer para Jon que o seu inimigo quer machuca-lo e fazer com que ele cometa um erro. Uau. Sansa é tão esperta que nem percebe que Jon é um herói feito para sacrifícios.

– Sem cena picante? Não, os Greyjoys chegaram. Eles poderiam colocar aquela cena a qualquer hora. Podiam, né?

– Hora da Batalha. Jon não é burro, ele é suicida. Ramsay age como se fosse um calculista frio e mata mais um stark. Sentiram saudades? Todo mundo sabia que era uma armadilha sem precisar do conselho de Sansa. Começa a guerra. O resgate do soldado Jon. Realismo! Oops, um gigante e uma pilha de corpos. Espera aí, o Ramsay está mandando os seus arqueiros  lançarem flechas no mesmo local onde a sua cavalaria com números superiores está atacando? Sabe, a cavalaria, a parte mais nobre e cara dos exércitos medievais?

– Alguém me explica o que o Norte se lembra? Acabaram de ver um bastardo sem passado matar um legítimo herdeiro Stark de maneira cruel e agora está liderando seus homens de maneira ridícula. Claro, ele cercou o exército de Jon, que não morreu por ter se protegido com o épico escudo da popularidade (lembra quando Game of Thrones matava qualquer um e eles continuavam mortos?) , mas olha o que sobrou dos seus homens. Ele tinha mais do que o dobro de soldados!

– Eles têm um gigante, mas ele se comporta feito um Wookie.

– Ah, olhe lá, o Bigodinho. Ele chegou agora? E ninguém ouviu? O que a Sansa está fazendo ali? Espera aí, eles estavam se escondendo atrás de uma moita esperando aquele momento… imprevisível, por que é difícil prevenir o combate entre dois comandantes tão idiotas.

– Ramsay sai correndo e eles matam o Gigante. Awww. E Jon resolve definir a batalha no punho. Tipo super-herói. Entendeu Sansa, o importante não é saber o que Ramsay faria, é saber o que o Jon faria. Ele é um herói e o outro é o Dick Vigarista (falta o bigodinho e Theon para rir e resmungar ao lado dele)

– Aquela cena final. Sansa mostra que é uma mulher madura… ou que de repente ela não está nem aí para a família e é uma vaca cruel dada a ironias baratas? Poxa, ela e o Ramsay foram feitos um para o outro.

– Spoilers: Não houve spoilers. Todo mundo sabia que o Jon ganharia, que o exército do bigodinho chegaria e o Ramsay morreria. O chato é que sete dias e a Brienne não chegou!


#gameofthrones

Game of thrones: Sansa e o Sonso
Game of thrones: Sansa e o Sonso

Deixe seu comentário